MENSAGENS PARA A GERAÇÃO DOS ÚLTIMOS DIAS

Veja ao Lado Blogs que Recomendo

O DOM DE INTERPRETAÇÃO DE LÍNGUAS “ESTRANHAS” NUNCA EXISTIU NA HISTÓRIA DA IGREJA CRISTÃ

*********(CORRIGIDO, ACRESCENTADO E ATUALIZADO EM 06.01.2011)*********
Os meus leitores já devem estar careca de saber que os fatos e assuntos bíblicos que comento aqui fogem ao estilo de outros comentaristas (teólogos) cristãos/evangélicos da blogosfera.

Mas este é o objetivo deste blog: mostrar a verdade escancarada dos fatos bíblicos; mostrar uma visão interpretativa alternativa dos assuntos teológicos e escatológicos mais polêmicos; fazer uma análise mais coerente com a realidade, sem apelação, sem sentimentalismo, sem fanatismo, sem interpretação literal simples; revelar interpretações mais coerentes com a verdade de fatos que os teólogos de araque não ensinam nos cultos de doutrinas, nem na Escola Dominical, nem em livros; alertar os cristãos sobre os mitos, invencionices, crendices e baboseiras que andam publicando na internet.

Assim como as redes de TV, rádio e imprensa escrita não revelam a verdade real dos fatos, mas manipulam, editam, cortam parte das informações que devem ser repassadas ao público, assim, também, os livros de doutrinas, de estudos bíblicos, as revistas de Escola Dominical, omitem as partes polêmicas dos textos e dos fatos bíblicos, e outros pregadores também fazem interpretação tendenciosa para justificar uma doutrina falsa ou tirar proveito financeiro para si, em detrimento dos fiéis.

Muita gente certamente discorda das minhas interpretações e do meu modo de escrever e de analisar as coisas. Mas esse é o meu jeito. E também faço por causa da consciência. Estou cansado dessa teologia fraca e barata, que faz interpretação literal da Bíblia, principalmente em relação aos assuntos escatológicos.

E não venha me dizer que o que escrevo está sendo prejudicial à Igreja ou ao Evangelho. O que esses pastores da teologia da prosperidade e esses crentes de araque da Nova Era (crentes mundanos) andam fazendo com o Evangelho de Cristo é que está sendo prejudicial à propagação dos boas-novas. Por causa disso o Cristianismo está em crise, o Evangelho desacreditado, porque os cristãos da Nova Era (ou seja, de hoje) não seguem e não praticam o Evangelho puro e simples, mas vivem e ensinam um outro evangelho. Antes mesmo de aparecer a internet, o Cristianismo já estava em crise.

O que escrevo é útil e apreciável. Somente os entorpecidos por essa teologia tradicional fraca é que não enxergam a realidade das coisas, e não aceitam alguém escrever diferente porque receberam lavagem cerebral. E continuarão cegos, enquanto não abrirem a mente e o coração para apreciar o que eu e outros tem a dizer.

Aliás, ninguém é obrigado a me seguir ou me escutar. A internet está cheia de sites sobre ocultismo, satanismo e pornografia, e sei que ninguém é obrigado a acessar esses sites. Porém, bem-aventurados os de mente aberta, que procuram apreciar o que outros tem a dizer sobre os ensinos bíblicos.

O que seria desses crentes tapados e cegos se não houvesse outros crentes (isentos de fanatismo religioso, que não compactuam com ensinos errôneos) para mostrar o caminho, as veredas antigas?!

Mas este é destino dos seres humanos. Ao invés de se aperfeiçoarem, quanto mais o tempo passa, mais se corrompem. Com os crentes acontece essa mesma sina.

Se não forem abreviados os dias, poucos se salvarão. Como foi nos dias de Noé, assim também será na vinda do Filho do homem. Mas a corrupção não se restringe somente às pessoas do mundo, restringe-se também àqueles que se chamam cristãos.
************************************************************

O assunto que vou comentar aqui é a respeito do dom de línguas “estranhas” e dom de interpretação dessas línguas “estranhas”, ensino este que faz parte da doutrina dos dons do Espírito Santo.

De acordo com o que li em livros que tratam sobre os dons espirituais, livros que contam a trajetória das igrejas pentecostais, e das experiências próprias que tive durante a convivência em igreja pentecostal, posso garantir que nunca existiu o tal “dom de interpretação de línguas estranhasnas igrejas pentecostais.

O que já houve foi dom de interpretação de língua “estrangeira”, mas nunca de línguas “estranhas”.

Na verdade, as supostas “interpretações” ou traduções de línguas “estranhas” são mentiras, pois, analisando os casos, vemos muitos disparates nas interpretações, incertezas, palavras ou frases repetidas sendo traduzidas de formas diferentes. Além disso, o dom de línguas que, conforme Paulo ensina, deveria servir como SINAL para os incrédulos, nunca foi usado para essa finalidade. Aliás, as mensagens das supostas línguas “estranhas” sempre são PROFECIAS ou EXORTAÇÕES para a igreja ou para uma pessoa da igreja; nunca são mensagens de Deus para os incrédulos.

O único fato que vi, por experiência própria, foi o caso de uma irmã que falava em língua “estranha” e, ao mesmo tempo, falava em português, como se estivesse interpretando a si mesma, e revelando uma profecia ou mensagem de exortação a outro irmão. Porém, esse fato não é prova de que a irmã estava fazendo uma interpretação de línguas “estranhas”.

Será que alguém sabe do relato de algum irmão que interpretou “línguas estranhas”?

O dom de falar em línguas (estranhas) é denominado “Glossolália”.

Porém, a pessoa que fala muitos idiomas ou dialetos de povos da Terra é chamada de Poliglota.

Alguns teólogos afirmam que a glossolália ou dom de falar em línguas (estranhas) é sinal evidente do batismo com Espírito Santo. Porém, outros teólogos atestam que a glossolália não se constitui necessariamente uma prova do batismo no Espírito Santo.

Outros teólogos são ávidos (ou peritos?) em citar a língua grega, língua hebraica, mas a maioria não entende corretamente nem a própria língua que fala. Fazem interpetações absurdas e tendenciosas de certas passagens bíblicas. Cito, por exemplo, o seguinte trecho:

“Os termos empregados para as línguas estranhas (faladas pelos discípulos) são “novas línguas” (Kainai; glw’ssai, Marcos 16:17, onde Jesus promete o dom). “Outras línguas”, diferindo da língua comum (e {terai gl Actos 2:4, só aqui é empregado este termo), “tipos” ou “variedades de línguas” (glwssw’n gevnh, 1 Coríntios. 12:28), ou simplesmente, “línguas” (glw’ssai, 1 Coríntios. 14:22) e, no singular, “língua” (glw’ssa, 14:2, 13, 19 27, em que as passagens em E.V. insere a interpolação “língua desconhecida”). Para falar em línguas é chamado (glwvssai “ou lalei’n glwvssh /). (Actos 2:4; 10:46, 19:6;. 1Co 14:2, 4, 13, 14, 19, 27) Paulo usa também a frase “rezar com a língua” (proseuvcesqai glwvssh /), como equivalente a “orando e cantando com o espírito” (Proseuvcesqai e yavllein tw ‘/ pneuvmati, e que a diferencia da proseuvcesqai e yavllein tw’ / v> noi, 1 Coríntios . 14:14, 15). A pluralidade e o termo “diversidade” das línguas, bem como a distinção entre línguas de “anjos” e línguas “de homens” (1 Cor. 13:01) aponta para diferentes manifestações (falar , orar, cantar), de acordo com a individualidade, educação e humor do falante, mas não para várias línguas estrangeiras, que são excluídas pela descrição de Paulo (AFIRMAÇÃO ERRADA DO AUTOR – GRIFO MEU)“. (http://cristianismo-na-historia.blogspot.com/2010/11/glossolalia-i.html).

Vou mostrar, aqui, que existe contradição nos ensinos de Paulo a respeito do dom de línguas e dom de interpretação de línguas “estranhas”.

Se Paulo afirma que a língua (estranha) é o que se supõe uma “língua de anjo”, e ninguém pode compreender, por que ele mesmo diz que há o dom de interpretação de línguas? Se há o dom de interpretação de línguas “estranhas”, então as supostas línguas de anjo podem ser compreendidas. No entanto, esse dom de interpretação de línguas “estranhas” nunca existiu ou nunca foi exercitado nas igrejas, ou nunca houve ninguém que se interessou em desenvolvê-lo.

Aliás, vou mostrar que o “dom de línguas” na verdade trata-se do dom de “línguas estrangeiras”, ou seja, línguas terrenas, idiomas ou dialetos da Terra. E o propósito desse dom de línguas era para evangelização. Como os discípulos fariam a evangelização dos outros povos falando em línguas de anjos? Quase todos os discípulos eram indoutos, não contavam com intérpretes para sair por entre as nações evangelizando, e acima de tudo, se fossem estudar os idiomas dos povos levariam bastante tempo para fazê-lo.

Gunnar Vingren e Daniel Berg vieram para o Brasil, em 1910, sem saber falar português, mas para evangelizar tiveram que aprender o português, pois não contavam com intérprete. Se ainda houvesse manifestação do dom verdadeiro de falar em línguas, eles o teriam usado para começar a evangelização.

Aliás, na Bíblia não há nenhum relato de anjos se comunicando com os seres humanos em “línguas estranhas”. Se um anjo precisar vir falar conosco, ele falará em qualquer um dos idiomas das diversas nações da Terra.

E um anjo que se preze jamais fala nessa linguagem estranha “maluca” que os crentes pentecostais falam. Se um anjo vier falar conosco, ele falará em nossa língua e de forma bem natural, sem histerias, sem sotaques e sem precisar de crentes pentecas para interpretá-los. Da mesma forma, não creio que os anjos louvam a Deus com histerias ou em transe.

Quando um crente aprende a falar em línguas “estranhas”, ele geralmente procura imitar aquele que o instruiu ou aquela pessoa que sempre ouviu falar em línguas. Outros procuram variar o sotaque pra não parecer que está imitando alguém. Digo isso porque presenciei nas igrejas, e também, porque o próprio apóstolo Paulo afirmou que o crente deve orar com o espírito, mas também deve orar com o entendimento, e que os espíritos dos profetas estão sujeitos aos profetas. Paulo acha que mesmo o crente estando em transe espiritual, deve estar lúcido e ciente de suas faculdades. Por isso, pode se controlar e parar de falar em línguas ou parar de profetizar a hora que quiser.

Porém, um anjo que se preze jamais falará ou se comunicará com um linguajar maluco como desses crentes pentecostais que falam na suposta “língua de anjo”.

Esse linguajar maluco dos crentes pentecostais é tão estranho, que já serviu até de piada na internet, e fonte de inspiração para uma ingênua irmã compor uma bela canção, uma pérola, de nome “Labassurionderrá”. Clique aqui para ouvi-la. (http://nostalgiagospel.multiply.com/music/item/933).

A expressão “Labassurionderrá” se refere ao modo mais famoso e conhecido de se falar em línguas “estranhas”. A maioria dos pastores pentecostais pronuncia essa bendita expressão, que  ninguém jamais soube e nem saberá o que significa. Só que antes do Labassurionderrá é pronunciada uma outra palavrinha estranha: “ipa”.

A frase completa é: “ipa labassurionderrá”. A irmã Graça Ramalho, autora da pérola “Labassurionderrá”, até exagera. No refrão da música ela diz: “ipla, pla, pla, pla, ipa labassurionderrá”.

***

Agora vou prosseguir com as devidas explicações sobre este assunto, tomando textos bíblicos.

Marcos 16:17

“E estes sinais acompanharão aos que crerem: em meu nome expulsarão demônios; falarão novas línguas”.

A passagem bíblica, acima, jamais se refere a “línguas estranhas” ou línguas de anjos, mas sim, idiomas ou línguas estrangeiras dos povos da Terra.

I Coríntios 12:4, 10 e 28

“Ora, há diversidade de dons, mas o Espírito é o mesmo. (…) a outro a operação de milagres; a outro a profecia; a outro o dom de discernir espíritos; a outro a variedade de línguas; e a outro a interpretação de línguas. (…) E a uns pôs Deus na igreja, primeiramente apóstolos, em segundo lugar profetas, em terceiro mestres, depois operadores de milagres, depois dons de curar, socorros, governos, variedades de línguas”.

I Coríntios 14:2

“Porque o que fala em língua não fala aos homens, mas a Deus; pois ninguém o entende; porque em espírito fala mistérios”.

Nas duas passagens bíblicas, acima, em nenhum momento Paulo se refere a dom de línguas “estranhas”. Ele apenas diz “variedades de línguas” e “interpretação de línguas”. E também, ao contrário do que o texto diz, os crentes de hoje não falam em espírito, mas sim, abrem a boca no microfone e pulam e sapateiam.

Em nenhuma passagem bíblica vemos a palavra “estranhas” ou “desconhecidas” referindo-se ao dom de línguas. Porém, se observarem nos livros e nos estudos de muitos teólogos de araque sobre o dom de línguas, verão que eles usam a expressão “línguas estranhas”. Podem escrever no Google a frase “dom de línguas estranhas” e “línguas de anjos” e confirmem.

A palavra “ESTRANHAS” não existe nos textos mais antigos e fiéis da Carta aos Coríntios. Se na sua Bíblia existe a expressão “LÍNGUAS ESTRANHAS”, nos capítulos 12 e 14 da primeira Epístola aos Coríntios, então sua Bíblia é adulterada e falsificada.

Paulo fala em “variedade de línguas” (variedade de idiomas). E isso não se vê nas igrejas, mas sim, um mesmo linguajar grotesco e estranho, que é imitado por muitos.

Mas existe uma contradição no que Paulo ensinou nos capítulos 12 e 14 da primeira Carta aos coríntios e no evento ocorrido no dia de Pentecoste, em Atos 2. Paulo afirma que o que fala em língua (estranha) fala a Deus e não aos homens.

Porém, mais na frente ele diz que há dom de interpretação. Se existe dom de interpretação, então alguém pode compreender a bendita língua “estranha”. E tem mais: o dom de línguas que os discípulos receberam no dia de Pentecoste não foi nada igual ao dom que Paulo se refere. Os discípulos no dia de Pentecoste falavam aos homens (e não a Deus) em línguas ou idiomas estrangeiros. Jamais falaram nessa tal língua “estranha”.

O objetivo do dom de línguas era para evangelização dos povos estrangeiros. Só que, talvez por influência maligna, os crentes desvirtuaram ou deturparam esse dom. Por isso que não existe ninguém com dom de interpretação de línguas, porque simplesmente essa língua “estranha” que falam é uma maluquice.

Veja os textos referentes a efusão do Espírito Santo no dia de Pentecoste.

ATOS 2:1-11

“1 Ao cumprir-se o dia de Pentecostes, estavam todos reunidos no mesmo lugar.
2 De repente veio do céu um ruído, como que de um vento impetuoso, e encheu toda a casa onde estavam sentados.
3 E lhes apareceram umas línguas como que de fogo, que se distribuíam, e sobre cada um deles pousou uma.
4 E todos ficaram cheios do Espírito Santo, e começaram a falar noutras línguas, conforme o Espírito lhes concedia que falassem.
5 Habitavam então em Jerusalém judeus, homens piedosos, de todas as nações que há debaixo do céu.
6 Ouvindo-se, pois, aquele ruído, ajuntou-se a multidão; e estava confusa, porque cada um os ouvia falar na sua própria língua.
7 E todos pasmavam e se admiravam, dizendo uns aos outros: Pois quê! não são galileus todos esses que estão falando?
8 Como é, pois, que os ouvimos falar cada um na própria língua em que nascemos? (PRECISA SER MAIS CLARO ESTE TEXTO BÍBLICO?)
9 Nós, partos, medos, e elamitas; e os que habitamos a Mesopotâmia, a Judéia e a Capadócia, o Ponto e a Ásia,
10 a Frígia e a Panfília, o Egito e as partes da Líbia próximas a Cirene, e forasteiros romanos, tanto judeus como prosélitos,
11 cretenses e árabes-ouvímo-los em nossas línguas, falar das grandezas de Deus.

O texto é claro quando diz que “cada um os ouvia falar na sua própria língua”. Ou seja, essas línguas que os primeiros discípulos falaram, como manifestação dos dons do Espírito, eram “idiomas, línguas ou dialetos” dos povos estrangeiros que visitavam Jerusalém”, e não línguas “estranhas” ou línguas de anjos.

Milhares de peregrinos de diversas nações visitavam a Terra Santa (Jerusalém) já naquela época; muitos estavam lá para cultuar ao Deus de Israel, outros para fazer comércios, negócios, e outros estavam lá apenas como turistas. Veja a lista desses povos em Atos 2:9-11: partos, medos e elamitas; habitantes da Mesopotâmia (atual região do Iraque), povos da Judéia e da Capadócia, do Ponto e da Ásia, da Frígia e da Panfília, do Egito e das partes da Líbia próximas a Cirene, e forasteiros romanos, tanto judeus como prosélitos, cretenses e árabes.

O que os discípulos falavam a estes povos em línguas? Falavam das grandezas de Deus (Atos 2:11b). E o que os crentes pentecostais falam em línguas “estranhas” nas igrejas atualmente? Na maioria dos casos falam profecias, exortações, confissões de pecados, etc.

“Os crentes (judeus)… maravilharam-se de que também sobre os gentios se derramasse o dom do Espírito Santo, porque os ouviam falar línguas e magnificar a Deus” (Atos 10:45-46).

O problema foi que, por banalização do falar em línguas, ou por influência demoníaca, o verdadeiro dom de variedades de línguas passou a ser entendido de forma equivocada, a tal ponto de afirmarem que são línguas de anjos.

No livro de Atos dos apóstolos não se fala em “dom de interpretação de línguas”, e não há nenhum relato de alguém interpretando línguas “estranhas”. Será por quê? Porque as línguas que eles falavam não eram “estranhas”; eram idiomas ou dialetos dos diversos povos da Ásia, África, Europa, arábias, etc, e não precisava ninguém interpretá-las, porque, quando o Espírito Santo descia, o crente falava na língua de algum estrangeiro (incrédulo) que estivesse presente. Os apóstolos que escreveram as Epístolas Universais (Pedro, João, Tiago e Judas), inclusive o autor da Carta aos Hebreus, jamais tocaram no assunto das línguas “estranhas”, muito menos do dom de interpretá-las.

Esse problema das línguas “estranhas” só ocorreu na igreja de Corinto. O primeiro derramamento do Espírito ocorreu no dia de Pentecoste, ainda no ano 33 d.C. Paulo teve que escrever duas epístolas com alto teor de exortação, de repreensão e de ensino aos Coríntios, por causa de diversos problemas espirituais naquela comunidade cristã. As epístolas aos Coríntios foram escritas no ano 56 d.C., cerca de 20 anos após o Pentecoste. Podemos observar que ao longo de 20 anos, os dons espirituais outorgados pelo Espírito Santo aos crentes foram sendo deturpados. Na verdade, Paulo gabou os Coríntios, dizendo que não lhes faltavam nenhum dom. Porém, esses dons eram deturpados.

Eram muitos os problemas espirituais dos Coríntios. Vejamos como Paulo os tratou: ignorantes (1:11-13); carnais (3:1); imorais (5:1); entregando próprio irmão à justiça mundana (6:4-8); idólatras (10:14); briguentos durante o culto (11:17-18); profanadores da Ceia do Senhor (11:20-22); indecentes no culto (14:40); cúmplices de infidelidade (II Cor. 6:14-18); tolerando falsos mestres (II Cor. 11:13-15) e pecadores impenitentes (II Cor. 12:21). 

Ainda há outra contradição no que Paulo diz a respeito da finalidade do dom de línguas. Veja:

“De modo que as línguas são um sinal, não para os crentes, mas para os incrédulos” (I Cor. 14:22).

“Se, pois, toda a igreja se reunir num mesmo lugar, e todos falarem em línguas, e entrarem indoutos ou incrédulos, não dirão porventura que estais loucos?” (I Cor. 14:23).

Se as línguas são sinais para os incrédulos, por que Paulo proibe que todos falem em línguas? Que negócio é esse? Como se explica isso? Quer dizer que apenas um ou dois tem que falar em línguas?

No entanto, pra acabar com a polêmica, Paulo afirma que, se não há ninguém que interprete as linguas “estranhas”, que se calem na igreja. Logo, se não tiver quem interprete, os incrédulos nunca receberão um sinal da parte de Deus?

“Se alguém falar em língua, faça-se isso por dois, ou quando muito, três, e cada um por sua vez, e haja um que interprete. Mas, se não houver intérprete, esteja calado na igreja” (I Cor. 14:27-28).

Será que os crentes pentecostais de hoje cumprem bem os ensinamentos de Paulo? Não. O que eles mais gostam de fazer é colocar a boca no microfone e gritar “ipa labassurionderrá”. Paulo não proibiu ninguém a falar em línguas, contanto que haja intérprete.

Esses crentes pentecostais não são nada inteligentes, pois Paulo os aconselha a procurar os melhores dons, e mais o de profetizar, que o de falar em línguas, porque o que profetiza é maior do que aquele que fala em línguas. Ora, é raríssimo na igreja ver dons de profecia. O que existe na verdade é dom de “profetada”. Na verdade, o que o povo quer mesmo é entrar em transe pra falar essa tal língua “estranha”, de preferência embalado pelas músicas em ritmo de forró.

Se não há quem interprete essas ditas línguas “estranhas”, por que exercitam esse dom fajuto e ainda incentivam os outros a praticá-lo? Eles não são inteligentes. Quem tem o Espírito Santo de Deus é inteligente e não desobedece aos ensinamentos bíblicos que são corretos.

Paulo listou os dons do Espírito de acordo com sua importância para a Igreja. E relacionou o dom de línguas como o último a ser exercitado. Ou seja, Paulo relacionou o DOM DE LÍNGUAS como o MENOR DOS DONS. Por isso ele disse: “Mas procurai com zelo os MAIORES dons” (I Cor. 12:31). Após Paulo fazer essa recomendação, ele diz que vai mostrar algo que é mais excelente que todos os dons: a prática do amor (Vide cap. 13).

Agora, veja a relação dos dons do Espírito dispensado à Igreja, de acordo com sua importância (o dom de línguas é o último):

“E a uns pôs Deus na igreja, primeiramente apóstolos, em segundo lugar profetas, em terceiro mestres, depois operadores de milagres, depois dons de curar, socorros, governos, variedades de línguas(I Cor. 12:28).

Ora, nas igrejas pentecas, o dom que deveria ser menos exercitado, é o mais praticado e incentivado, e de maneira deturpada. Será que esses crentes são inteligentes? Será que são guiados pelo Espírito de Deus ou pelo espírito do engano e da rebeldia?

Já escrevi em outro artigo sobre o caso de um pastor que apareceu na minha igreja, o qual estava disciplinado por adultério. Porém, o meu Pastor local não sabia do caso e pôs o dito cujo para pregar e ensinar a mocidade da igreja a receber o batismo no Espírito Santo e falar em línguas “estranhas”. O cara era bom mesmo e botava todo mundo em transe. Falava mais em língua que pregava. Na reunião de oração com os jovens no sábado à tarde ele ensinou os jovens a falar em línguas. Ele dizia: “Diga glória, glória, glória!”. Daí os jovens, de tanto repetir a palavra “glória”, perdiam a dicção da fala e ninguém compreendia o que falavam. Aí ele concluia que os jovens haviam sido batizados com o Espírito Santo e falavam em línguas “estranhas”. No outro dia o meu Pastor ficou sabendo da situação daquele pastor e o expulsou da igreja. À noite, no culto, meu Pastor se ajoelhou e pediu perdão à Igreja por ter colocado aquele impostor para pregar e ensinar. Esse fato ocorreu na década de 80.

Outro detalhe importante é o ensino de Paulo, quando exorta ao que fala em língua, que ore, a fim de que possa interpretá-la. Ora,  isso prova que já naquela época o que interpretava a língua era o mesmo que a pronunciava. Logo, como afirmei anteriormente, uma pessoa que fala em língua estranha e interpreta a si mesma não prova que a interpretação seja verdadeira.

“Por isso, o que fala em língua, ore para que a possa interpretar” (I Cor. 14:13).

Tem mais uma heresia que os pentecostais ensinam sobre o dom de línguas.

Os teólogos de araque ensinam que as línguas “estranhas” são “línguas de anjos”. Porém, em nenhum momento é ensinado isso na Bíblia.

Eles simplesmente pegam a frase “língua dos anjos” que Paulo refere-se em I Coríntios 13:1 e relacionam com o dom de línguas.

“Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, e não tivesse amor, seria como o metal que soa ou como o címbalo que retine”.

A expressão “línguas dos anjos”, no texto supracitado, não se refere ao dom de línguas. Nem mesmo na concordância bíblica existe relação alguma.

Se Paulo disse que o que fala em línguas fala em mistérios com Deus e ninguém entende, então há contradição no que ensinam hoje, pois, se esses crentes oram a Deus em línguas de anjos, eles correm grande perigo, pois suas orações podem ser ouvidas por Lúcifer e os anjos caídos. Para mim, é melhor falar com Deus orando em português, porque talvez o Diabo escute, mas não entenda nada do que digo.

Até notáveis e renomados pastores, como Altair Germano e Ciro Sanches Zibordi, referem-se ao dom de línguas, em seus comentários e estudos, usando a expressão “línguas estranhas”. Repito: a expressão “línguas estranhas” não existe na Bíblia. Isso é heresia dos pentecostais.

O internauta Cristiano Santana fez um comentário pertinente no blog do Pr. Ciro Zibordi, sobre o tema “Os dons de variedades de línguas e interpretação de línguas”. (http://cirozibordi.blogspot.com/2009/05/os-dons-de-variedade-de-linguas-e.html).

“[Dou graças a Deus, porque falo em outras línguas mais do que todos vós. 19 Contudo, prefiro falar na igreja cinco palavras com o meu entendimento, para instruir outros, a falar dez mil palavras em outra língua. 20 Irmãos, não sejais meninos no juízo; na malícia, sim, sede crianças; quanto ao juízo, sede homens amadurecidos] Ao contrário da tendência atual, Paulo não se deslumbrava com o dom de línguas estranhas. De vez em quando, sou interpelado por alguns irmãos que protestam dizendo: “a mensagem que você pregou foi muito boa, mas teria sido muito melhor se você tivesse falado em línguas estranhas”. Não existe lugar algum na Palavra de Deus que diz que a minha mensagem aumentará em poder se eu falar em línguas estranhas. Alguns pregadores, influenciados por essa falsa noção, acabam misturando pregação com línguas estranhas. Para cada palavra intelegível, são faladas dez palavras estranhas, e a consequência é que a Igreja acaba não entendendo nada do que foi dito. Em algumas igrejas, basta o pregador falar umas cinco palavras em línguas estranhas para que todos passem a acreditar que ele é o profeta de Deus, o enviado do céu. As igrejas não estão precisando de pregadores desse tipo. A situação atual é tão grave que as igrejas estão precisando ouvir as repreensões de Deus na língua materna; os cristãos estão precisando ouvir calados, com os olhos esbugalhados a mensagem radical do evangelho”.

Neste mesmo texto, o Pr. Ciro cita um caso que aconteceu com ele mesmo, de ter falado em línguas e uma irmã tê-lo interpretado.

“No fim da minha exposição bíblica, no período da tarde, recebi do Espírito algumas palavras proféticas em variedade de línguas. Como o Senhor não me deu a interpretação, calei-me depois de algum tempo. Mas uma irmã chamada Regina, com lágrimas nos olhos, me procurou e disse: “Pastor, eu sou tão pequena, porém tudo o que o senhor falou em línguas eu entendi perfeitamente”.

Eis a interpretação que o Espírito deu àquela humilde e sincera serva do Senhor, a qual eu publico aqui para que, como está escrito em 1 Coríntios 14.12, haja edificação da Igreja do Senhor: “Igreja, Igreja minha, eu sou o Senhor, o teu Deus, que falo contigo. Não mude o fundamento, o qual eu, o Senhor de Israel, já tenho colocado. Assim diz o Senhor, Igreja minha”.

Percebam que são raríssimos os casos de interpretação de línguas a exemplo do citado, acima.

No entanto, revendo o capítulo 14 de I Coríntios, podemos ver que é duvidoso o relato da irmã que interpretou a lingua estranha falada pelo Pr. Ciro.

Veja bem. Paulo diz que “o que fala em língua não fala aos homens, mas a Deus, pois ninguém o entende”.  Mais na frente Paulo diz que “o que fala em língua edifica-se a si mesmo, mas o que profetiza edifica a igreja”. Paulo quer dizer que o que se fala em línguas não é profecia para a Igreja, mas uma glorificação a Deus. Evidentemente, isso se contradiz com a finalidade das línguas faladas no dia de Pentecoste. (AQUI FOI CORRIGIDO).

Neste mesmo capítulo 14, Paulo afirma categoricamente que “as línguas são um sinal, não para os crentes, mas para os incrédulos; a profecia, porém, não é sinal para os incrédulos, mas para os crentes”. Portanto, deduz-se que o que o Pr. Ciro falou não foi em línguas, pois segunda a interpretação da irmã, o que o Pastor falou foi uma profecia ou exortação para a Igreja. Repito: o apóstolo Paulo enfatizou que as línguas não são profecias, mesmo que alguém as interprete. (CORRIGIDO).

Mas, o que significa dizer que o “as línguas são um sinal, não para os crentes, mas para os incrédulos”?

Significa que a mensagem proferida em línguas, na verdade é proferida em idiomas ou línguas estrangeiras, de modo que, se houver um estrangeiro presente no culto, ele compreenderá a mensagem, e isso se constituirá em um sinal de que Deus está no meio da Igreja. Mas se a língua estrangeira que o crente falar não for a de nenhum presente, então é necessário que algum irmão tenha dom de interpretação de línguas para que haja proveito no uso deste dom, e sirva de sinal para os incrédulos. Se não há quem interprete, o dom de línguas pode se tornar em algo escandaloso.

O Pr. Altair Germano faz a citação num de seus textos sobre a glossolália, mas não sei se ele escreveu a palavra “estranhas” como está no livro (sic) ou se, por descuido, ele a acrescentou.

“Sobre isto, o Comentário Pentecostal do Novo Testamento (CPAD) afirma em sua pág. 1026: “A glossolalia interpretada e a profecia são igualmente válidas por edificarem a congregação: ‘O que profetiza é maior do que o que fala línguas estranhas, a não ser que também [as] interprete’. Paulo não diz aqui que as líguas mais (sic?) a interpretação são equivalentes à profecia ou, formando a frase de um modo diferente, que a interpretação seja uma profecia (como Barret argumenta, 316)”.

A sigla “sic” quer dizer uma citação conforme está no texto original.

O Pr. Altair Germano estará publicando um novo livro seu denominado “O Batismo com (no) Espírito Santo – Perspectivas Sob um Olhar Crítico do Pentecostalismo Clássico”. Ele publicou um texto referente ao assunto, intitulado “Eles Falaram em Outras Línguas?” (http://www.altairgermano.net/2011/01/eles-falaram-em-outras-linguas.html). Cito um trecho:

O montanismo foi um movimento religioso que data do século II. Recebe esta designação em razão do ser fundador se chamar Montano, um sacerdote pagão da região da Ásia Menor chamada Frígia que se converteu ao cristianismo.

Eusébio de Cesaréia (263-340 d.C.), em sua “História Eclesiástica” (2003, p. 182), narra os fatos acerca de Montano e seu movimento da seguinte maneira:

“Diz-se haver certa vila da Mísia na Frígia, chamada Ardaba. Ali, dizem, um dos conversos recentes de nome Montano, quando Crato era procônsul na Ásia, tendo na alma excessivo desejo de assumir a liderança, dando ao adversário ocasião para atacá-lo. De modo que foi arrebatado no espírito, sendo levado a certo tipo de frenesi e êxtase irregular, delirando, falando e pronunciando coisas estranhas, e proclamando que era contrário às instituições que prevaleciam na Igreja, conforme transmitidas e mantidas em sucessão desde os primórdios. Mas quanto aos que aconteceu estarem presentes e ouvir esses oráculos espúrios, ficaram alguns indignados, censurando-o por estar sob a influência de demônios e do espírito de engano e por estar apenas incitando distúrbios entre a multidão”.

O Pastor Altair cita vários autores que relatam e designam o movimento montanista como herege. Porém, no final, ele o defende, e acha que os montanistas foram os precursores do reavivamento pentecostal:

“Com o montanismo, temos a primeira tentativa histórica do resgate do batismo com (no) Espírito Santo, da manifestação de línguas, profecias e dos demais dons extraordinários do Espírito”.

A realidade não seria o contrário disso que o Pr. Altair afirma?

E para completar, o Pr. Altair ainda cita no mesmo texto as contradições das narrativas históricas sobre o Batismo com (no) Espírito Santo, onde há dubiedade das provas de que os grandes pregadores e líderes cristãos do passado teriam sido batizados no Espírito Santo e falado em línguas “estranhas”. Um dos casos citados é o do reformador Martinho Lutero.

Se não me engano, existem dois ou três relatos oficiais na história do movimento pentecostal das Assembléias de Deus no Brasil em que houve interpretação de línguas, mas de línguas estrangeiras e não de línguas “estranhas”. Existem relatos de outros casos, mas não foram registrados oficialmente.

*****

Indico, abaixo, alguns sites para quem quiser saber mais a respeito do dom de línguas (glossolália), dos relatos do desenvolvimento deste dom nas igrejas pentecostais e das controvérsias sobre a atualidade do dom de línguas.

Pentecostalismo:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Pentecostalismo ;

Glossolália – O dom includente do Espírito Santo (Trabalho universitário)
> http://www.pucsp.br/rever/rv2_2010/t_carvalhaes.htm

Dons de Línguas: Contraste entre o Pentecostalismo e os Pais da Igreja (Este estudo é muito bom e abrangente, onde o autor cita até os primeiros casos de pessoas que falaram em línguas)
> http://www.pucsp.br/rever/rv2_2010/t_carvalhaes.htm

História das Assembléias de Deus no Brasil, Emílio Conde – CPAD (Um pequeno trecho)
> http://paulosergiofalandodedeus.blogspot.com/2011/01/historia-das-assembleias-de-deus-no.html

A Doutrina da Santidade Wesleyana e sua influência no cristianismo pós avivamento wesleyano
> http://brasilmetodista.ning.com/group/clubesanto

Cito dois trechos deste último site:

“Este critério da glossolalia como fator inconteste do batismo no Espírito Santo pode fazer com que indivíduos sob pressão, no afã de serem aceitos pelo grupo, passem a exprimir sons que nada têm a ver com as línguas estranhas relatadas em Atos 2 e nas cartas Paulinas, mais precisamente nos capítulos 12 a 14 de 1 Coríntios. Outras pessoas que, não tendo coragem para falsear o dom que os qualificaria como selados pelo Espírito e não o tendo recebido mesmo após intermináveis buscas, podem, a meu ver, abrigar interiormente, sentimentos de rejeição em relação à de Deus”.

“Elienai Cabral Júnior, pastor da Assembléia de Deus Betesda, em Fortaleza, Ceará, também manifesta o dom de línguas em sua vida devocional. E também não vê o dom recebido como sinal de poder, prestígio e orgulho. “É um sinal de fraqueza, humildade e esvaziamento. Falamos línguas que sequer conseguimos entender (1Co 14.14). Isto que recebemos de Deus, por sua graça, a salvação em Cristo é algo tão superior a nós, tão acima de nossos méritos e habilidades que sequer conseguimos fazer caber em nossa linguagem”, explica ele (ou seja, ele ignora o dom de interpretação).

Observe que o Pr. Elienai Cabral Júnior nem dá importância para o dom de interpretação de línguas e dá a entender que ninguém nunca o interpretou; e não demonstra interesse em procurar o dom de interpretar as línguas “estranhas” que fala.

****

COMPLEMENTANDO, INCLUO ALGUNS VÍDEOS

Os vídeos que posto aqui são provas evidentes de que as supostas interpretações de línguas “estranhas”, praticadas pelos pentecostais, não passam de embustes e mentiras deslavadas. Assista e tire suas conclusões.

1) Deus falando em outras línguas (com interpretação)


http://www.youtube.com/watch?v=cODuwh4RY88

Observe a interpretação que é feita antes e depois de 2:47. Primeiro ele traduz como se fosse Jesus-Filho falando, porque diz “igreja que comprei com MEU SANGUE”. Depois ele traduz como se fosse Deus-Pai falando.

Repare que em 2:47min do video o intérprete diz: “Prepara-te, ó igreja, porque em breve EU buscarei o povo que MEU Filho comprou COM MEU SANGUE”. Ora, quem derramou o sangue para nos salvar foi o Filho e não o Pai.

Uma anáslise mais acurada pode detectar outras discrepâncias na suposta tradução.

Se um perito for analisar várias frases em língua “estranha” e analisar com as devidas traduções, verá que tem repetição vã, com várias prunúncias estranhas para uma mesma palavra em português.

O pastor, intérprete, teria por obrigação dizer qual foi o idioma que a irmã falou ou então tentar escrever o que ela falou em línguas estranhas e traduzir por escrito. Aí daria para analisar palavra (estranha) com palavra em português.

2) Deus falando em LÍNGUAS ESTRANHAS (com tradução)

http://www.youtube.com/watch?v=oILk1_6sXjo&feature=related

Qualquer um pode ver que a suposta língua estranha que o pastor fala e a interpretação que a irmã faz, neste vídeo, é uma fraude, um engano.

Neste vídeo o pastor ainda se exibe para alguém, para mostrar a variedade de línguas.

Esses falsos cristãos pentecostais ainda vão pagar caro por deturpar os dons do Espírito Santo e enganar os crentes ingênuos.

3) Pastor traduzindo Deus falando


http://www.youtube.com/watch?v=GRLOldLntus&feature=watch_response

Este caso é parecido com o segundo vídeo, acima.

No começo o rapaz que fala em língua pronuncia mais frases do que o pastor traduz; no final, o pastor fala mais frases do que o rapaz falou.

4) Eu acredito no poder de Deus (porque vi)! 


http://www.youtube.com/watch?v=gN1d6FbKpxw&feature=related

O fato retratado neste vídeo parece ser real, inclusive as línguas “estranhas” e o suposto milagre.

Porém, há um erro grotesco do pastor, pois ele ORA A JESUS, o que é anti-bíblico. Jesus jamais ensinou os discípulos a lhe pedirem algo em oração; jamais insinuou que os discípulos devessem pedir alguma coisa a Ele em oração. Jesus ensinou a Oração do Pai-Nosso aos discípulos e também disse que “tudo quanto perdirdes ao Pai, em meu nome, ele vos concederá” (João 15:16 e 16:23).

Não deixe de ler mais uma discussão sobre o dom de línguas no FÓRUM CCB SEM CENSURAS no link, abaixo:

http://ccbsemcensuras.forumeiros.com/t183-dom-de-linguas

Lá, um dos comentaristas afirma que é raro o dom de interpretação de línguas nas igrejas, e que muitos não procuram esse dom porque se sentirão constrangidos ao ouvir confissões de pecados, de crimes e exaltação ao demônio que os crentes falam em línguas estranhas. Uma pessoa diz, lá, que uma irmã até pediu para Deus tirar dela o dom de interpretação de línguas, porque se sentia mal ou poderia fofocar para os irmãos os pecados e crimes que outros irmãos confessavam a Deus em línguas estranhas. É mole?!!!

*************
Miquels – Atualização em 04/01/2011

 

About these ads

04/01/2011 - Posted by | CASOS POLEMICOS, ESTUDOS BÍBLICOS | ,

45 Comentários »

  1. QUANDO SESSARÃO AS LÍNGUAS.
    Finalmente, porém talvez o mais importante, a Bíblia especificamente ensina que as línguas deveriam continuar somente durante aquela época. Note cuidadosamente 1 Coríntios 13:8-13. No versículo 8, Paulo disse que as línguas cessariam: “havendo línguas, cessarão”. No versículo 10 ele mostra quando: Quando vier o que é perfeito. Isto está intensamente claro. As línguas eram para durar somente até que o perfeito viesse. A dificuldade está em determinar a que o “perfeito” se refere. Em geral, muitas coisas poderiam ser perfeitas (completas). Poderíamos ter uma casa perfeita, um carro perfeito ou, talvez, uma completa e perfeita pizza. Perfeito é uma qualidade que pode ser (e assim está na Bíblia) usada para qualificar muitas coisas. Desta maneira, há um contraste entre o que é “em parte” e o que é “o perfeito”. Em qualquer área, o perfeito é sempre a soma das partes. Assim, se sabemos quais eram as partes, podemos juntá-las e encontrar o perfeito. As partes eram o conhecimento e a revelação (profecia) da vontade de Deus. Naquele tempo, a revelação de Deus estava se fazendo conhecida justamente uma parte de cada vez. A própria primeira carta aos Coríntios era uma dessas partes. Se as partes, então, se referem à revelação da Palavra de Deus, parte por parte, o perfeito tem que ser a revelação completa de Deus, o Novo Testamento. Portanto, quando o Novo Testamento se completou, o dom das línguas cessou, de acordo com o plano de Deus. Me ensinem sobre isso.

    Comentário por Elison Keese | 03/07/2014 | Resposta

  2. Bem, não sou teóloga. Mas tenho um conhecimento básico de ciência, sendo que faço faculdade de física. O que posso dizer é que eu já interpretei uma pessoa falando em línguas estranhas. Foi na época em que me converti. É algo inexplicável. Meu tio orava por mim. Quando terminou, fiquei muito surpresa ao saber que ele estava orando em línguas, já que o havia entendido perfeitamente. O engraçado foi que não consegui me lembrar de suas palavras…

    Comentário por Bianca Bastos | 03/10/2013 | Resposta

  3. bem, nao sou teologo e alias só tenho ensino medio mas ao lermos os dois textos o de paulo e os atos dos apostolos; vemos claramente que se trata de dons completamente diversos: o primeiro fala de um dom individual que pode ser chamado de “linguas extranhas, novas linguas e etc.” e o segundo de atos dos apostolos é de fato uma glossolalia milagre que nao se dá em quem fala mas em quem escuta como o proprio texto diz ” nao sao estes todos galileos?como o ouvimos proclamar as maravilhas de deus em nossa propria lingua?” é bem provavel que ele nao mais exista visto que ele tinha como objetivo suprir a deficiencia de comunicaçao dos apostolos com outros idiomas ja que eram quase todos analfabetos e nao dispunham de tecnologia para conhecer idiomas e fala-los. ja o dom em 1corintios, paulo é bem claro e mais claro impossivel, “quem fala em linguas nao fala aos homens ,mas a deus” e o dom tem uma especificidade edicar seu receptor pois o texto diz “aquele que ora em lingua edifica-se a si mesmo” logo nao deveria ser usado em uma grande assembleia,pois o dom linguas existe e deve ser posto em pratica para o bem da igreja mas nao se poderá usa-lo sem a assistencia dos outros dons e tendo provado e comprovado pô-lo a serviço dos outros mas cuidado pra nao transformar o dom de deus escandalo.

    Comentário por joao | 09/06/2013 | Resposta

  4. vejo que existe muita polêmica sobre esse assunto, o problema é a cegueira espiritual de muitos, a base pra toda essa polêmica é um versiculo só:1co14:2 o que fala outra lingua não fala aos homens mas ha Deus, tem outro parecido 1co14:14 o famoso orar em linguas, é um assunto tão claro que não vejo outra explicação pra tanta polemica senão cegueira espiritual mesmo! é só ler o contexto fica claro que é outro indioma, se eu chegar em uma igreja iglesa, falando japonês, ninguem ali vai entender, só Deus entende é claro! sem contar que isso aconteceu aproximadamente 20 anos depois do pentencostes, o movimento pentecostal de hoje não tem nada haver com o que aconteceu em atos2. a biblia é clara não sei porque as pessoas deixam a biblia de lado e baseiam suas crencas em experiencias pessoais. só lenbrando que eu também ja falei essa lingua eu acreditava mas foi quando eu nao examinava as escrituras,é uma experiencia muita boa mas nem tudo que é prazeroso significa que é de Deus, alem do mais no espiritismo tambem fala em linguas e la começou primeiro, ninguem na biblia falou lingua dos anjos nem em 1900 anos de historia da igreja, seria os crentes de hoje melhores do que eles? que Deus nos dê sabedoria para entender a sua palavra; ame o proxio, ajude quem precisa.

    Comentário por flavio | 28/04/2013 | Resposta

  5. Conheço um írmão abençoado e uma certa feita ele estava em um culto e quando o írmão que estava pregando e de repente começou a falar uma lingua estranha e o írmão começou a interpretar e a pastora disse que tudo que ele falou estava acontecendo com a igreja.O mais interessante este írmão tinha ido pela 1ª vez nesta igreja e nem conhecia o pregador convidado.Como disse Jó: Deus é tão grande que não podemos o alcançar.Enquanto dizemos Deus não faz mais isso ou aquilo, os que acreditam e buscam orando estão vivenciando esta experiência .Fui batizado e posso te dizer falei uma língua estranha tão maravilhosa creio que por 20 segundos que não consegui sentir as minhas pernas, suando e chorando, que não consegui controlar o meu choro é uma sensação difícil de explicar mas é algo bom de sentir.Quem viveu a experiência não precisa de argumentos,queria que acontecesse o mesmo com você e assim passarias a creditar no batismo em línguas estranhas.Não sei o que falei a língua batia muito no céu da minha boca,pois aquele que fala língua estranhas não fala aos homens, porque eles não entendem, ora se não entendem, esta língua não pertence a nenhum dialeto humano, mas fala exclusivamente a Deus para sua própria edificação e eu nem acreditava pois vim de uma igreja batista tradicional esse povo é que não acredita mesmo,busquei acreditei e recebi,jesus disse: buscai e acharei, mas tem que orar

    Comentário por dilson | 03/04/2013 | Resposta

    • Caro irmão, na minha bíblia e na sua bíblia não está escrito LÍNGUAS ESTRANHAS, nem LÍNGUA DE ANJOS. Muitos ensinamentos dos pentecostais são heréticos.
      Estude os comentários de um erudito sobre a Igreja de Corinto e veja que os crentes daquela igreja deturparam os dons espirituais. Era a igreja que mais apresentava problemas de doutrina. Foram os coríntios que deturparam o dom de língua, pois a finalidade desse dom era o de evangelizar e não de ficar falando blá-blá sem nexo na igreja.

      Comentário por Miquels | 03/04/2013 | Resposta

  6. somente com o conhecimento da VERDADE PODEREMOS SER LIBERTOS. OBRIGADO PELA VERDADE.

    Comentário por PAULO ROBERTO CORDEIRO SANTANA | 26/02/2013 | Resposta

  7. O dom de línguas estranhas é igual ao dom de profecias: “para que a igreja receba a edificação”

    Sim, é isso mesmo! O dom de línguas estranhas, com interpretação, é igual ao dom de profecia. Ou não?

    “Porque o que fala língua estranha não fala aos homens…”. Então, não pode estar falando uma língua idiomática. Pois, se assim fosse, alguém (homem) entenderia.

    “…se não a Deus; porque ninguém o entende…”. Somente Deus entende. Nem a própria pessoa que está falando entende.

    “…e em espírito fala em mistérios” Deus, pode, revelar seus mistérios a quem Ele queira. Somente saberá, a própria pessoa que fala, o significado, se o Espírito Santo revelar ao seu próprio espírito. Poderá também, essa revelação, ser dada a outra pessoa. Tudo para a edificação.

    “…edifica-se a si mesmo”. Falar línguas estranhas, mesmo sem interpretação, acrescenta fé, e acrescenta vida espiritual.

    “E eu quero que todos vós faleis línguas estranhas…”. O Apostolo Paulo aprova, mesmo sem interpretação, os crentes, falarem línguas estranhas

    “…a não ser que também interprete”. Falar em línguas estranhas no culto não contribui em nada para a edificação da igreja; a não ser que interprete, poi se houver interpretação esse dom se iguala ao dom de profecia. “para que a igreja receba edificação”.

    “…porque estarei como que falando ao ar”. Quem pronuncia línguas idiomáticas não está falando ao ar; haverá pessoas que entenderão.

    “…tanta espécie de vozes no mundo”. Línguas idiomáticas! Aqui sim, Paulo está se referindo a elas.

    “nenhuma delas é sem significação”. Nenhum idioma é sem significação, nenhum idioma fala somente a Deus, nenhum idioma fala “em mistérios”.

    “…procurai sobejar neles”. Devemos desejar sermos superabundante quando se trata de dons do Espírito Santo. Não nos faltar nenhum! “para a edificação da igreja”

    “Pelo que, o que fala língua estranha, ore para que a possa interpretar”. Se línguas estranhas fosse línguas idiomáticas, o estudo intelectual seria o necessário e não a oração.

    “se eu orar em língua estranha, o meu espírito ora bem”. “Ora, o homem natural não compreende as coisas do Espírito de Deus, porque lhe parecem loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente.”

    “Que farei, pois? Orarei com o espírito, mas também orarei com o entendimento; cantarei com o espírito, mas também cantarei com o entendimento.” A Bíblia ensina a não somente orar, mas também cantar com língua estranha.

    “Dou graças ao meu Deus, porque falo mais línguas do que vós todos”. Será que Paulo poderia julgar a capacidade intelectual de todos em Coríntios?

    [alguns interpretam este versículo afirmando que Paulo falava mais línguas aprendidas do que os coríntios. Essa interpretação é incorreta, porque a palavra “mais” (grego mallon) não é um adjetivo modificando o substantivo “línguas”, mas um adverbio de intensidade modificando o verbo “falar”. Sendo assim, Paulo não disse “falo em mais línguas”, mas sim, “falo em línguas mais (isto é, mais frequentemente) do que todos vós] BEP.

    “Que fareis, pois, irmãos?”

    “…Quando vos ajuntais, cada um tem salmo, tem doutrina, tem revelação, tem língua, tem interpretação. Faça-se tudo para a edificação. E, se alguém falar língua estranha, faça-se isso por dois ou, quando muito, três, e por sua vez, e haja intérprete. Mas, se não houver interprete, esteja calado na igreja e fale consigo mesmo e com Deus.”

    “Se alguém cuida ser profeta ou espiritual, reconheça que as coisas que vos escrevo são mandamentos do Senhor… …Portanto irmãos, procurai, com zelo, profetizar e não proibais falar línguas.”

    Portanto, a Bíblia ensina a procurar com dedicação e diligência o dom de profecia concedido pelo Espírito Santo e a não proibir o dom de línguas. São mandamentos de Jesus Cristo.

    Porque MUITOS insistem em desobedecer os mandamentos do Senhor?

    —————————–
    RESPOSTA:

    O dom de línguas “estranhas” é um dos menores dons e o menos recomendado por Paulo. Porém, atualmente este dom é o mais cultivado nas igrejas pentecostais.
    Estude mais um pouco e perceba que não existe a palavra “ESTRANHA” no texto bíblico original. Então não é DOM DE LÍNGUAS ESTRANHAS”.
    Paulo diz que há o Dom de Interpretação de Línguas, não dom de línguas estranhas, mas de idiomas.
    A epístola de Paulo aos Coríntios foi escrita muitos anos após os primeiros atos dos apóstolos. A Igreja de Corinto ficou corrompida, e Satanás corrompeu do dom de línguas e de interpretação de línguas. Eles passaram a falar qualquer coisa inspirado por espíritos malignos e não havia ninguém com dom para interpretar aquele linguajar desconhecido. Daí concluíram que eram “línguas estranhas”, “línguas de anjos”, etc.
    No próprio livro de Atos está dito a finalidade do Dom de Línguas: TINHA APENAS PROPÓSITO EVANGELÍSTICO.
    Veja a prova. Observem bem os versículos 6 e 10:
    “6 Havendo-lhes Paulo imposto as mãos, veio sobre eles o Espírito Santo, e falavam em línguas (IDIOMAS, E NÃO LÍNGUAS ESTRANHAS) e profetizavam.
    7 E eram ao todo uns doze homens.
    8 Paulo, entrando na sinagoga, falou ousadamente por espaço de três meses, discutindo e persuadindo acerca do reino de Deus.
    9 Mas, como alguns deles se endurecessem e não obedecessem, falando mal do Caminho diante da multidão, apartou-se deles e separou os discípulos, discutindo diariamente na escola de Tirano.
    10 Durou isto por dois anos; de maneira que todos os que habitavam na Ásia, tanto judeus como gregos, ouviram a palavra do Senhor”.
    ATOS 19:6-10
    Esse Dom de Língua era o verdadeiro dom, que era entendido, sim, por aqueles pra quem era direcionada a mensagem no seu próprio idioma.

    Miquels7

    Comentário por stephane | 04/02/2013 | Resposta

  8. Eu avia esquecido querido sobre o fato em questão falar linguas estranhas, se realmente você não acredita eu quero le disser que comece a estudar a feitisaria,umbanda.candombler,vudú.masonaria,todos essa tém grau quanto mais se doa mais os espiritos se apresentam,eles se apresentam disendo que Deus deixa seu povo passar fome ele sempre acusam a Deus e os homens e atribui tudo que acontece de mal a DEUS e eles também imitam a Deus falando liguas aquelas que você tá questionando que é mintira(se foce mintira os demonhos não imitavam mais eles imitam para confundir e dizer que eles são bomzinhos)meu querido você que ter certeza do que falo vai e ver lá com os teus olhos pois trabalhei muito tempo enganado para satanás contra meu proximo e contra meus corpo,rogo a Deus que abra seus olhos espirituais e ouvidos e que Deus tenha miseeicordias de nós.

    Comentário por Miguel lima | 02/01/2013 | Resposta

  9. Olá,jovem você mesmo é você que plantou essa semente daninha cuidado com Deus pois pelo oque eu entendi você prega apalavra de Deus não preciza você falar o que Deus não te altorizo mais deixa de falar contra o que Deus altorizo outro a fala seja língua,milagres etc..prega que Deus cura salva e liberta e pronto e se tú quizer algu mais pede a Deus que ele te dar.
    mais pude pesceber que você tá obcervando os irmãos em vez de pregar amenssagem de Deus ele vai te abater ele vai tratar contigo você tá passando de pregador para acusador e aida mais disceminando veneno nas mentes dos povos que conhece e ainda mais daqueles que não conhece…

    ————————–
    RESPOSTA:
    Tenho pena dessas pessoas “ingênuas”, “neófitas”, que sofreram lavagem cerebral e que, além de serem semi-alfabetizadas, tornaram-se fanáticos religiosos, por isso elas rebatem as coisas que escrevo. Eu sei que isso faz da parte da ignorância dessa massa de crentes, com suas mentes manipuladas e conhecimento pífio a respeito da Bíblia e das doutrinas. Temos que aturar. Por isso, publico esses comentários, mesmo assim…

    Comentário por Miguel lima | 01/01/2013 | Resposta

    • Meu querido suas palavras me faz lembrar bem de satanás, pois ele conhece a bíblia muito mais que qualquer um de nós, e a principal objetividade dele é fazer com que todos deturpem a palavra de Deus, assim como vc. está fazendo, conhecer a palavra como vc. mostra que conhece é uma coisa, ter entendimento é outra coisa e não é para qualquer um, acredito que vc. precise ter um encontro profundo com a pessoa do Espírito Santo de Deus antes de tocar nos ungidos de Deus. Não tive ainda essa experiência em falar em línguas, mas já vi diversos Profetas de Deus falando em línguas e entregando palavras que só poderiam vir de Deus. Peço ao Senhor Jesus que te perdoe não pela falta de conhecimento, pois isso satanás também tem demais, mas pela falta da revelação no entendimento da palavra, fique com Deus.

      Comentário por Heloisa | 30/07/2013 | Resposta

  10. BEM…TALVEZ VC NUNCA TENHA TIDO O REAL ENTENDIMENTEO DISSO E DAS OUTRAS COISAS, PORQUE DESDE O INICIO CRIOU UMA BARREIRA PARA DEUS TE ENSINAR.
    PERGUNTE AO ESPÍRITO SANTO, EM VEZ DE FALAR CERTAS COISAS.

    **************

    RESPOSTA:

    Tá doido?!!!

    Fui criado no evangelho desde a minha infância, e fui de igreja pentecostal, fui musico da igreja, professor de escola dominical, dirigiente de jovens. Mas as doutrinas que aprendi naquele tempo foi de literatura recomendada pela igreja, principalmente de livros editados pela CPAD. Mas quando deixei de ser “menino”, passei a estudar outras literaturas de autores independentes. Foi aí que comecei a aprender realmente sobre as verdades da Bíblia e das doutrinas falsas criadas por evangélicos leigos e fanáticos.

    Não sou mais um Zé Mané, que aprende aquelas baboseiras na escola dominical e acha que entende de Bíblia e de doutrinas.

    Comentário por PC | 12/11/2012 | Resposta

    • Tu agora se acha um pop strar do conhecimento(porque que tu não usa o conhecimento que Deus te deu para pregar o evangelio genuino que Deus sara cura e liberta e para de atacar as coisas que te serviram como base para você ser essa pessoa tão intelecta que você dis que é.
      Quando você quis se mostrar sábio se mostro tolo…

      —————————
      RESPOSTA:
      A própria Bíblia ensina que o entendido não deve discutir com os “tolos” (pessoas que não dão o braço a torcer, neófitos, que sofreram lavagem cerebral), pois é perca de tempo.
      O texto vai ficar aí, como uma monte de brasas sobre suas cabeças. Vai queimar e queimar.
      Depois, ou você se estrebucha, ou você acorda, para estudar direitinho a Bíblia.

      Comentário por Miguel lima | 03/01/2013 | Resposta

    • Olá, vamos deixar para ser julgado quando jesus volta ai sim eu sei que ele vai dizer quem é e quem não é.
      Em quanto isso não acontece vamos lutar contra os principados e potestades do ar que vive nas regiões celestiais(vamos deixar o sangue e a carne de mão pois o inimigo veio para roubar matar e destruir todo o tipo de pensamento que se refere a Deus jeová),e ainda cegar os entendimento dos incredulos um abraço.

      Comentário por Miguel lima | 17/01/2013 | Resposta

      • quem veio roubar matar e destruir é o ladrão, uma das especialidades do diabo e enganar, examine o contexto e você vai ver que o diabo em linguagem figurado é o lobo

        Comentário por F barbosa | 11/08/2013

    • latim neophytus, -i)

      s. m.

      1. [Religião] Pessoa que acaba de receber o baptismo.

      2. [Figurado] Novato; principiante.

      latim neophytus, -i)

      s. m.

      1. [Religião] Pessoa que acaba de receber o baptismo.

      2. [Figurado] Novato; principiante.

      Deus deu inteligencia e sabedoria para todos jesus te ama e eu também
      .

      Comentário por Miguel lima | 17/01/2013 | Resposta

  11. irmãos de todas as igrejas vamos pregar a vinda de Jesus,e não ficar discutindo um com o outro quem ta certo ou errado se não vamos parecer com os irmãos de corintios nós dependemos do espírito santo de Deus e Ele quem nos ajuda e consola lembre-se quem e o acusador de nossas almas e satanás.Deus age com sua multi forme sabedoria da maneira que Ele quer.uns batem palmas outros não batem uns dão gloria a Deus outros não,o que importa e que nós venhamos pregar o evangelho e o arrependimento de pecados porque já estamos nas ultimas horas Jesus esta voltando amem..

    Comentário por paulo marcelo | 03/10/2012 | Resposta

  12. Um brasileiro enrolando a lingua é uma coisa, um espanhol (que a sua lingua também é latina) enrolando a lingua pode sair uma coisa muito louco até parecida com a do brasileiro. Mas escuta um americano falando em linguas estranhas pra voce ver. Sabe o que acontece? A mesma lingua. Incrivelmente, fonemas cheios de vogais e as mesmas palavras. Tem que ver isso ae…

    Comentário por Eduardo Alcantú | 24/09/2012 | Resposta

  13. Deus mesmo fala que o ser humano tem o livrio arbitrio até mesmo pra falar e pensar, estudar o que bem quiser, é o caso desse rapaz, é o ponto de vista dele, ele não sabe o poder que Deus tem.

    Comentário por Vanessa | 24/08/2012 | Resposta

  14. SATANÁS É CAPAZ DE CEGAR TANTAS PESSOAS, COMO VC QUE ESCREVEU ESSE TEXTO SOBRE INTERPRETAR LINGUAS ESTRANHAS,MAIS EU CREIO QUE DEUS VAI TE LIBERTAR UM DIA E ABRIR SEUS OLHOS E TE ENVOLVER NOS MISTERIOS DELE ,PARA HONRA E GLÓRIA DO SENHOR !!!

    Comentário por cinthia | 17/08/2012 | Resposta

  15. SO SEI DE UMA COISA ESTOU CONHECENDO MUITAS IGREJAS E TODAS FALAM AS MESMA LINGUA DO MESMO JEITO ISSO DEIXA A GENTE REALMENTE COM DUVIDAS

    Comentário por DULCI SOUZA | 04/07/2012 | Resposta

    • Oi,meu nome: é Miguel,é um nome hebraico de significado quem é como Deus.
      Só para você parar com essa duvida a respeito das coisas de Deus e orar mais jejuar buscar a Deus pelas madrugadas e ele vai se revelar para você assim com se revelo para Sauro, o apostulo paulo.
      A palavra de Deus dis que os filhos das trevas são mais obdientes do que os da luz,(porque na umbanda,candombler,vudú,feitiçaria eles,pedem oferendas para subir de grau eles impõe jejum pesados de vários dias a comida é sangue e mais coisas isso para receber os dons de satanás que aprender a fazer o mal ao seu proximo,ele chama pelo nome do demônio e ele executa na mesma hora a maldade sabe(se Deus permitir) porque eles se doa e buscam eu falo isso porque tenho base solidas para falar foi um instrumento na mão dele, e hoje sirvo ao Deus vivo você sabe os nomes do Deus que você serve(Jeová Rapha – O Senhor que sara Jeová Eloai ( O Senhor meu Deus e assim são muitos e ai um Deus que tem muitos nomes cuidado para você não desconfiarem de Deus também,pois as fortalezas do diabo é na mente humana e no coração colocando dúvidas.
      Minha irmã vai buscar mais de Deus e para de olhar os outro na congrgação pois o espirito de mentira quer te ussa ´como instrumento de oposição contra a obra de Deus esse é o a arma principal de satanás o inimigo de Deus e dos seres humanos é se opor contra tudo que é de Deus.

      Comentário por Miguel lima | 01/01/2013 | Resposta

  16. GENTE, VAMOS PREGAR O EVANGELHO DE CRISTO, FALAR SOBRE O ARREBATAMENTO É ISSO QUE SALVA AS PESSOAS…

    Comentário por vilma luziete Batista | 22/06/2012 | Resposta

  17. Não concordo com o texto relatado, parece algo para confundir as pessoas que apenas ouve aqueles que tem seu ponto de vista, isso porque as pessoas não querem ter o verdadeiro conhecimento que é a palavra de Deus, leia a bíblia . Se caso ouvir seu pastor falar algo, que você acredite ,não ser verdadeiro, então procure a palavra, com toda certeza lhe dirá tudo o queira saber.Hitler conseguiu que muitos seguissem seu discurso e o que aconteceu? toda a Alemanha foi destruída (crianças, adolescente e adultos); Assim sendo são pessoas como essa, que tem argumentos que parece ter sentido mas na verdade são usadas como os falsos profetas para confundir as pessoas.

    Comentário por jonas herivelton | 23/05/2012 | Resposta

  18. Entre a Palavra de Deus e um comentario idiota de uma pessoa sem noção, eu escolho a Palavra.Cuidado com o que vc ensina, não se esqueça que terá que dar conta de cada uma dessas palavras diante de Deus, tudo Deus trará ao juízo. Muitos podem perder a salvação por causa dos teus ensinamentos errados e que trazem confusão. O meu Deus não é Deus de confusão.

    Comentário por Paula | 23/05/2012 | Resposta

  19. as coisas espiriruais sao para pessoas espirituais,pessoas carnais realmente nao sabem e nem podem entender as coisas do espirito, mas amem…

    Comentário por aline | 05/04/2012 | Resposta

  20. parabens muito esclarecedor seu comentario.
    E pra quem pensa que este fenomeno é restrito a apenas chamados pentecostais ,esta enganado algumas correntes catolicas tambem falam , talvez por estarem em frente a imagem do ES.
    Q koisa nao??

    Comentário por valmeri almeida | 25/03/2012 | Resposta

  21. Os videos citados foram tirados porque a mentira tem perna curta.

    Comentário por João Alves de Souza | 24/03/2012 | Resposta

  22. SOu assembleiano e vos digo, queres acreditar no que está escrito na Bìblia?? acreditas, não queres? não acreditas… DEUS deu seu LIVRO SAGRADO para que pudessemos nos espelhar e obter nossa salvação, e o SENHOR também nos dá autoridade para mostrar o caminho, no entando você tem que escolher se quer ou não seguir… a decisão é tua… Hipócrita, na Bìblia não á controversa, a não ser nos olhos dos imundos –‘

    Comentário por Jefferson de Andrade | 10/03/2012 | Resposta

  23. TÔ CANSADA DE ROCK GOSPEL CARNALIDADE POR CARNALIDADE PREFIRO FUTEBOL.
    ADORO O DEUS SOBERANO DE ISRAEL . MAS ADMIRO O MEU TIME DO CORAÇÃO O INTER DO RS.
    E TENHO CARINHO POR DOIS JOGADORES DESSE TIME GUIÑAZU E DALESSANDRO NÃO VEJO ISSO COMO IDOLATRIA E QUERO QUE ELES SE CONVERTAM .

    Comentário por Andreia Santos da Silva | 27/11/2011 | Resposta

  24. MAS EU TENHO RECEIO DESSES ASSUNTOS SOBRE O ESPÍRITO SANTO.
    POIS SE EU DUVIDAR POR EXEMPLO DAS LÌNGUAS ESTRANHAS CORRO O RISCO DE PECAR CONTRA ELE E IR PRO INFERNO POIS OS PASTORES DIZEM QUE SE DUVIDARMOS DOS SERVOS DE DEUS CORREMOS ESSE RISCO.

    *************
    RESPOSTA:

    Minha amiga Andreia Santos, você deve não se envolver muito com o fanatismo pentecostal. Você pode ficar na Igreja, mas não faça da forma como eles mandam para que a pessoa seja cheia do Espírito Santo. Olha, crente morno, como diz o Apocalipse, não quer dizer o crente que não fala em línguas estranhas. Crente morno é aquele que não se decide entre a Igreja e o Mundo. Ou ele é crente (quente) ou é do mundo (frio).

    Olha, os crentes que são realmente batizados com o Espírito Santo devem apresentar algum dom. O batismo é para revelar os dons. Agora, se esses crentes são batizados e não recebem nenhum dom do Espírito Santo, então o espírito que recebem não é de Deus. Veja que são 9 os dons do Espírito Santo.

    Continue fiel a Deus, indo para a Igreja, mas não se empolgue com esses movimentos pentecostais duvidosos. Leia a Bíblia, estude, medite e ore bastante. Se você sentir algum mover do Espírito na sua alma, esse mover deve ser espontâneo e não aquele mover incitado através de músicas em ritmos frenéticos e nem pela eloquência do pregador no púlpito.

    Seja feliz!

    Comentário por Andreia Santos da Silva | 25/11/2011 | Resposta

  25. Este Elienai Cabral Jr. é pregador da doutrina do Teísmo Aberto. Ele diz que “Deus não sabe do futuro, se surpreende com as coisas que acoontecem assim como nós!” Como isso não tem fundamento bíblico, não o levo a sério e as línguas que ele fala, são qualquer coisa, menos dom do Espírito Santo! Deus, não é de confusão. Isto de línguas estranhas são coisas místicas e não de Deus! Leiam isso: http://www.cpr.org.br/escandalos_pentecostais_recentes.htm

    Comentário por Eliana | 07/08/2011 | Resposta

  26. Virou uma confusão na minha cabeça, na minha igreja tem pessoas que fala em linguas a horas, gente fiquei sem
    chão, no que li e vi, minha cabeça está parecendo roda gigante, imaginem…

    Comentário por Lya | 02/08/2011 | Resposta

  27. Valeu irmao pelo artigo – Os pentecostais precisam rever seus conceitos doutrinários quanto ao dom do espirito, batismo no espirito e linguas estranhas/anjos.

    Comentário por ximenes | 26/07/2011 | Resposta

  28. O conselho de Paulo: “Não proibais o falar em línguas”.

    Comentário por Lucas | 19/07/2011 | Resposta

  29. Prefiro o conselho de Paulo: “Não proibais o falar em línguas.”

    Comentário por Lucas | 19/07/2011 | Resposta

  30. É isso ai, devemos estudar a biblia todo e nao somente um versiculo, parabéns ao autor que colocou bem este artigo falando sobre “linguas estranhas”, é muita falta de sabedoria para os pentecostais.

    Comentário por marcelo | 03/07/2011 | Resposta

  31. Quero aqui parebenizar também o autor que colocou este artigo sobre líguas estranhas, fico feliz em saber que existem pessoas como vc que explicou muito bem e ao outro amigo que criticou, leia realmente todo o capítulo de corintios 14 e nunca somente um versiculo biblico pois a biblia é pra se estudar todo.

    Comentário por marcelo araujo | 03/07/2011 | Resposta

  32. Li todo seu o seu artigo e achei muito interessante, mas tenho uma dúvida. Paulo disse:

    “Se alguém falar em língua, faça-se isso por dois, ou quando muito, três, e cada um por sua vez, e haja um que interprete. Mas, se não houver intérprete, esteja calado na igreja” (I Cor. 14:27-28).

    Se num culto podem existir três pessoas falando em “línguas”, e isso é quase que um limite imposto por Paulo para que não haja desordem no culto, não me parece que o dom de línguas seja algo tão raro.
    Outro fato é que nem sempre há estrangeiros em cultos, quando muito pessoas que falam outros idiomas. Entendo que, por exemplo, no pentecostes temos judeus que, além do aramaico e hebraico, falavam a língua da região em que moravam. Ponto para o seu argumento, que tem muitas premissas verdadeiras, e realmente isto foi um sinal para os que escutavam e não criam em Jesus como Messias.
    Reforçando seu argumento a passagem –> “as línguas são um sinal, não para os crentes, mas para os incrédulos”, mostra um caráter evangelístico que esse dom possui.
    Um ponto contra o seu argumento, para mim que estou ouvindo isto pela primeira vez, é que Paulo está falando para uma Igreja local e ele não está negando que eles não falem em outras línguas, mas está dando ordenanças para o culto. Já que ele fala para uma igreja local, porque Paulo ia se preocupar tanto com isso. Será que o Espírito Santo usaria pessoas falando em outros idiomas se não houvesse ninguém que o entendesse “naturalmente”, ou mesmo com o dom de interpretação de línguas. Por que alguém falaria em armênio para brasileiros e outro interpretaria o idioma armênio, também pelo Espírito Santo, no meio de um culto para brasileiros que não compreendem o armênio? Me parece que o texto dá uma abertura para esse tipo de situação. Nesse caso a vertente pentecostal teria um argumento a seu favor, pois o dom de línguas e de interpretação das mesmas poderia englobar línguas conhecidas e desconhecidas, como acreditam.

    Aguardo ansioso suas considerações e agradeço a você, pois nosso Senhor disse: “Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará”, e a tenho buscado dia a dia.

    Comentário por Rodrigo | 04/06/2011 | Resposta

    • No dia de Pentecostes haviam muitos estrangeiros em Jerusalém, e para que todos pudessem ouvir as boas novas de JESUS, o ESPÍRITO SANTO usou os discípulos naquele instante, onde eles, falando em seu próprio IDIOMA HUMANO, todos os estrangeiros que ali estavam OUVIAM os discípulos como se estivessem falando na LÍNGUA HUMANA deles (Leia Atos 2.5,7,8 e 11b) E assim pudessem ser salvos.

      Comentário por ximenes | 26/07/2011 | Resposta

  33. antes de escrever pesquise bem leia em 1 Coríntios copitolo 14 versículo 2 e vc vai ver pra vc não ter o trabalho de abrir uma biblia que eu acho qui vc não tem veja só
    1 Coríntios 14
    2.Porque o que fala em língua desconhecida não fala aos homens, senão a Deus; porque ninguém o entende, e em espírito fala mistérios.

    ========================================
    RESPOSTA:

    Não quero “criança” e nem crente neófito falando asneiras aqui.
    Vc é quem precisa ler a Bíblia com atenção e saber interpretar textos.
    Antes de criticar, procure ler todo o texto. Quem sabe, você aprenda alguma coisa,
    e não venha aqui só criticar.
    Primeiramente, estude bastante a Língua Portuguesa, para entender
    melhor alguma coisa da Bíblia.

    Comentário por Yure | 31/05/2011 | Resposta

    • realmente alguns assassina nosso português, e sobre a bíblia só discuto a partir da tradução da vulgata.feita por Damazus e Agostinho.

      Comentário por josé | 14/06/2014 | Resposta

  34. Grande abordagem do tema.
    O autor teve o cuidado de esmiuçar o assunto com fontes históricas,sobretudo bíblicas,afim de esclarecer de uma vez por todas,esse tal de “falar em línguas” tão difundido e venerado dentro das denominações ditas cristãs. Quanto aos “iluminados” que tanto utilizam desse artifício barato para ganhar notoriedade entre muitos,a minha pergunta: O que vocês têm a dizer diante de incontestáveis comprovações bíblico/históricas????

    Comentário por De Oliveira | 24/04/2011 | Resposta

    • tenho ha dizer que é um livro muito novo e cheio de theatro de herculano ,realmente alguns assassina nosso português, e sobre a bíblia só discuto a partir da tradução da vulgata ,ano 22 antes de cristo.feita por Damazus e Agostinho.,a biblia é mentirosa escravocata cenica homofóbica etc.

      Comentário por josé | 14/06/2014 | Resposta

  35. Quero parabenizar a pessoa que discorreu sobre línguas “estranhas”. Enfim, alguém que fala sobre o Evangelho desprovido das babaquices tão comuns nos “pregadores” de plantão.
    Amo o Evangelho e adoro frequentar cultos; mas, pelo fato de previamente saber que vou ouvir besteiras, prefiro ficar em casa assistindo às besteiras da televisão.
    Mais uma vez, quero parabenizar a pessoa responsável por passar o Evangelho tal qual é: simples e maravilhoso.

    Comentário por Finéias Souto Maior | 30/03/2011 | Resposta


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: